Portal do Espirito

A sua referencia em Doutrina Espirita na Internet
Bem-vindo: Qui, 02/Abr/2020 15:10
Ler mensagens sem resposta | Pesquisar por tópicos ativos


Todos os horários são GMT - 3 horas




Criar novo tópico Responder  [ 68 mensagens ]  Ir para página Anterior  1, 2, 3, 4, 5  Próximo
Autor Mensagem
MensagemEnviado: Sáb, 15/Mar/2014 22:56 
Offline

Registrado em: Sáb, 27/Jan/2007 20:14
Mensagens: 6670
Localização: Brasil - Belo Horizonte
Paz plena... Um abraço fraternal para todos.
Todo ser humano precisa buscar uma compreensão sobre ele mesmo e também sobre a Verdade.
Nos dias em que comecei a me compreender melhor, que foi em Janeiro de 1980 e tive o meu afloramento mediúnico, encontrei muita resistência por parte de outras pessoas para comigo. Posso até dizer que todas as portas foram sendo fechadas para mim e por isso me transformei num perscrutador da Verdade.
À medida que ia me compreendendo cada vez mais, mais complexo ia ficando o processo para que outros me compreendessem.
Quando a procurar a Verdade Maior e por isso comecei também a busca pelo autoconhecimento.
Eu me sentia um prisioneiro dos remédios psicofármacos, que os psiquiatras iam receitando para mim. Como cada psiquiatra receitava um remédio diferente, então ficou claro para mim que eles não sabiam o que realmente acontecia comigo.
Mais ou menos a partir de Março de 1980 até Agosto de 19832 eu só pensava em desencarnar, pois essa era a única saída para mim para que eu ficasse livre da cadeia química dos remédios psicofármacos.
Em Agosto de 1982 tive a primeira revelação da Espiritualidade sobre uma vida passado minha e entendi que tinha um compromisso a cumprir aqui, então passei a ter consciência de que teria que ficar aqui neste corpo de carne por muito mais tempo. E já se foram 32 anos, após a revelação recebida em Agosto de 1982.
Na realidade eu comecei a fase do meu autoconhecimento e passei a ter consciência de onde vim, o que tinha que fazer aqui e até o que irei fazer após essa estadia aqui.

_________________
Paz plena... Rosário. ("Conhecereis a verdade e a verdade vos libertará" - João 8,32).


Voltar ao topo
 Perfil  
 
MensagemEnviado: Ter, 17/Jun/2014 17:39 
Offline

Registrado em: Sáb, 27/Jan/2007 20:14
Mensagens: 6670
Localização: Brasil - Belo Horizonte
Paz plena... Um abraço fraternal para todos.
Eis o que postei no jornal sobre o artigo do José Reis Chaves do dia 19/08/2013, que está nesse endereço:
http://www.otempo.com.br/opini%C3%A3o/j ... s-1.699166
Citação:
Publicado no dia 20/08/2013.
A evolução de todos os espíritos, que foram criados simples e ignorantes, é sim uma grande verdade. A evolução pode ser comentada nos aspectos individual e coletivo. A Espiritualidade de hoje sabe mais do que a Espiritualidade da época de Kardec, como da época de Jesus. Agora existem espíritos, individualmente falando, que são muito mais evoluídos do que a maioria dos espíritos e isso pode ser visto em todas as épocas. Em O Livro dos Espíritos nas perguntas e respostas de números 234; 235 e 236 está muito claro a existência das colônias espirituais, que foram chamadas de mundos transitórios.
Citação:
Publicado no dia 20/08/2013.
Em função da evolução torna-se necessário compreender que cada ser humano é um espírito em evolução, que possui o seu próprio e único caminho evolutivo, pois cada um já teve muitas encarnações aqui na Terra ou em outras moradas na Casa do Pai. Cada espírito está sim em busca do seu aperfeiçoamento e do saber. Nesta vida nasci numa família católica, mas vim com todo o meu conhecimento já adquirido em vidas passadas, só que não sabia disto até aos meus 34 anos de vida, pois só aceitei a verdade da reencarnação no dia 05/01/1980. Após aceitar essa verdade, as portas internas do meu ser foram abertas e assim abriu-se o caminho para o meu autoconhecimento e passei a receber revelações da Espiritualidade, passando então a trabalhar em prol da evolução coletiva. Até 1980 trabalhei sim no aspecto da minha evolução individual.
Citação:
Publicado no dia 20/08/2013.
Cada ser humano é o único responsável por sua própria salvação e esta acontece pela busca da perfeição e da Verdade. Veja algumas das minhas observações enquanto lia a encíclica “Summorum Pontificum” de 07/07/2007 do papa Benta XVI: O “Espírito Santo”: O que é? (Ver a 3ª carta para o bispo Dom Célio e a carta para o Dr. Carlos Magno Ramos, onde divulguei a revelação explicativa, que recebi e também dei explicações sobre o Mistério da Santíssima Trindade). Ótima decisão, pois julguei muito errado o que foi feito com Dom Lefebvre, que não pôde continuar as celebrações em latim. Isso é liberdade. Por que não Sumo Pontífice? (Escrevi após ler na página 13: “Esta Comissão tenha a forma e cumpra as tarefas e as normas de ação que o Romano Pontífice queira atribuir-lhe”). Gostei dos artigos desta Encíclica do Bento XVI sob a forma de Motu Proprio Summorum Pontificum e a liberdade de ação e de culto aqui exposto deverá ser estendida também no processo de busca da Verdade, que liberta (Jo 8,32).
Citação:
Publicado no dia 22/08/2013.
Todo ser humano que inicia a buscar o entendimento dos acontecimentos de sua vida e até da vida dos outros logo entende que muitos ensinamentos religiosos foram sim complicadores para a compreensão da Verdade, que liberta (João 8,32). A humanidade chegou à Era da Verdade, o que está profetizado no Evangelho Segundo São João: “Quando vier o Espírito da Verdade, ele vos conduzirá à verdade plena, pois não falará de si mesmo, mas dirá tudo o que tiver ouvido e vos anunciará as coisas futuras” (João 16,13). Veja que está escrito: “mas dirá tudo o que tiver ouvido”, isso quer dizer que ele, o Espírito da Verdade, vai agir como médium. A Era da Verdade pode ser vista também no Apocalipse, quando todos serão controlados pela Besta (Ap 13,16 e 17) e o que controla tudo é sim o computador, que foi chamado de Besta Fera no Apocalipse. Está escrito: “Aqui é preciso discernimento! Quem é inteligente calcule o número da Besta, pois é um número de homem: seu número é 666” (Ap 13,18).

_________________
Paz plena... Rosário. ("Conhecereis a verdade e a verdade vos libertará" - João 8,32).


Voltar ao topo
 Perfil  
 
MensagemEnviado: Dom, 06/Jul/2014 23:17 
Offline

Registrado em: Qui, 06/Nov/2008 15:32
Mensagens: 1223
Quanto ao universo, eis um outro tópico que poderia ajudar nesta questão. O livro divulgado diz que existiria um mundo virtual feito de antimatéria no mesmo espaço que nosso universo, mas não haveria choque entre esses mundos porque estariam em estados de energia diferentes. E que buracos negros e quasares seriam pontes entre esses dois mundos, material e virtual. O virtual seria como o material, mas com propriedades mais hlolográficas, e ainda se levarmos em conta não só dois mundos, um virtual e um material, mas os dois em vários níveis. Assim, a antimatéria que falta estaria neste mundo virtual, dominado por um campo de antienergia, e o nosso, de energia.

viewtopic.php?f=3&t=6262

Eis aqui uma fórmula que elaborei e que poderia ajudar a respeito:

Absoluto = { Essência ordem-caos [ Fonte (Consciência Cósmica) ] [ Níveis multiversais (espaço-tempo material e virtual) ] } em que represento o absoluto numa fórmula, levando em conta todos os níveis funcionais básicos.


Voltar ao topo
 Perfil  
 
MensagemEnviado: Ter, 08/Jul/2014 08:08 
Offline
Avatar do usuário

Registrado em: Ter, 14/Dez/2004 08:07
Mensagens: 2714
Irmão Enio

Por que vc não posta aquele grafico que vc uma vez me enviou ? :wink:

_________________
Fiquem com Deus

Marcelo


Voltar ao topo
 Perfil  
 
MensagemEnviado: Ter, 08/Jul/2014 14:22 
Offline

Registrado em: Qui, 06/Nov/2008 15:32
Mensagens: 1223
O gráfico terá que mudar, uma vez que mudei algumas coisas em meu esquema.


Voltar ao topo
 Perfil  
 
MensagemEnviado: Sex, 11/Jul/2014 11:30 
Offline

Registrado em: Sáb, 27/Jan/2007 20:14
Mensagens: 6670
Localização: Brasil - Belo Horizonte
Paz plena... Enio e Marcelo, um grande abraço.
Como já foi dito aqui, eu estudei num seminário católico por 9 anos. Quando saí de um convento franciscano, vim para Belo Horizonte para poder continuar os meus estudos. Entrei para a Faculdade de Ciências Econômicas da UFMG em 1967, onde fiz os cursos de Ciências Contábeis e Administração de Empresas. Fui professor do curso de Ciências Contábeis de 1972 até 1980, quando a minha mediunidade veio à tona, logo após eu ter aceito a verdade da reencarnação no dia 05/01/1980 e fui considerado doente mental.
A partir de Janeiro de 1980 comecei os meus estudos sobre tudo o que se referia à mente humana, pois tinha que me conhecer muito bem vencer aquela etapa da minha vida.
Conheci a Doutrina Espírita no início de 1981 e tudo começou a encaixar na minha cabeça, mas como ninguém me compreendia, eu então tinha que estudar o mais rápido possível de tudo, principalmente os livros da Codificação de Kardec e os livros auxiliares da Doutrina Espírita.
Como vivia intensos fenômenos mediúnicos fui compreendendo rapidamente o meu processo, mesmo que ninguém me compreendia. Isso estava me dando uma imensa vontade de desencarnar e deixar esse plano físico repleto de pessoas ignorantes do assunto sobre a Espiritualidade e de como os Espíritos faziam intervenções no mundo corporal (O Livro dos Espíritos, perguntas 456 a 557)
Em Agosto de 1982 recebi uma revelação de uma de minhas vidas passadas e isso alterou de vez a minha forma de encarar o futuro, pois descobri que tinha uma importante tarefa a cumprir aqui nessa encarnação. Essa revelação foi sim o início do meu autoconhecimento, que me deu novas energias para enfrentar tudo e até a todos.
Estou aqui os meus comentários feitos, enquanto li o livro: O Gênesis e o Big Bang.
Livros - O Gênesis e o Big Bang. 1 (pág. 40 a 113). Manvântara. Ponto. Nada Absol. Deus. Criadores.
viewtopic.php?f=12&t=4615&p=140845#p140845
Livros - O Gênesis e o Big Bang. 2 (pág. 115 a 154). Deus, 1º Criador. Espírito. Luz. Nada Absol. Aleatório. Vida. Espiritologia. Matematica. Ejaculação. Espermatozóides e 1 óvulo. Criadores.
viewtopic.php?f=12&t=4615&p=140850#p140850
Livros - O Gênesis e o Big Bang. 3 (pág. 160 a 187). Deus. Intervenção Divina e não. Aleatório. Revelação. Evolução Espiritual. Bíblia. Nada Absol. Matematica. Criadores.
viewtopic.php?f=12&t=4615&p=140852#p140852
Livros - O Gênesis e o Big Bang. 4 (pág. 189 a 216). Evolução do conhecimento. Deus. Torá e B ílbia.
Teologia. Kardec. Moisés. Vida.
viewtopic.php?f=12&t=4615&p=140853#p140853
Livros - O Gênesis e o Big Bang. 1 (pág. 105.Deus Criador e outros Criadores.
viewtopic.php?f=12&t=5628&p=140846#p140846

Quanto mais ia aprendendo, mas compreendia que tinha de estudar mais e mais, pois entendi que o conhecimento e o autoconhecimento é sim o caminho para a nossa conquista da plenitude da PERFEIÇÃO e também o caminho para melhorar tudo aqui na Terra.

_________________
Paz plena... Rosário. ("Conhecereis a verdade e a verdade vos libertará" - João 8,32).


Voltar ao topo
 Perfil  
 
MensagemEnviado: Ter, 29/Jul/2014 10:39 
Offline

Registrado em: Sáb, 27/Jan/2007 20:14
Mensagens: 6670
Localização: Brasil - Belo Horizonte
Paz plena... Irmãos foristas, um abraço.
Fiz uma revisão das minhas respostas para comentar sobre Deus e até fiz uma apostila e aqui vou divulgar os índices das perguntas e respostas.
Pretendo fazer desta apostila um livro, então qualquer comentário a respeito do trabalho irá ser sempre útil para correção, acréscimo e etc para que o livro mais útil para quem tiver interesse sobre o assunto.
Desde já obrigado a todos.
Índice novo (Introdução até 36):
viewtopic.php?f=12&t=5114&p=142597#p142597
Índice novo (Índice até 36 - 37 a 73):
viewtopic.php?f=12&t=5114&p=142598#p142598
Divulgo aqui a pergunta de número 50:
50 ) Você já sabe quem é você? Resposta: “SIM”.
Cada um tem a sua história e só ele realmente sabe o que viu, sentiu e viveu. Comecei a descobrir a minha identidade cósmica em Janeiro de 1980. Em Agosto de 1982 fiquei sabendo de uma mini-individualidade da minha identidade cósmica e por isso comecei também a entender qual seria a minha função ou missão nessa encarnação.
Posso dizer que já sei de várias vidas passadas do meu espírito, mas não tenho como provar isso para ninguém... Então digo apenas isso: “vejam o trabalho que estou fazendo e tirem suas conclusões”.
Só comecei a entender o que tinha que cumprir aqui nessa vida depois que comecei a receber revelações sobre a minha identidade cósmica e assim pude enfrentar todos os obstáculos para conquistar o autoconhecimento e ter discernimento para identificar os Espíritos por meio da Espiritologia e encontrar a saída do labirinto criado pelos autores da Bíblia e pelos teólogos cristãos em torno de Deus, de Jesus, da Vida e da Verdade.
Veja dois textos do meu trabalho de 08/06/1989:
“VOCÊ SABE QUEM É VOCÊ?... E SE AUTOCONHECE?...”:
1º) Desde 1980 pesquiso, estudo e analiso tudo sobre a mente humana, sobre o consciente, o inconsciente individual e coletivo. Os termos para se referir às “profundezas da mente” são variados, como: consciente, inconsciente, semiconsciente, id, ego, superego, subconsciente, superconsciente, arquétipos mentais e outros ainda, dependendo da ideologia ou espiritualidade do “autor”. O consciente e o inconsciente (= a mente) de cada filho ou filha de Deus não é um dom gratuito de Deus, mas uma conquista de cada um de nós. Só recebemos gratuitamente da parte de Deus “a vida” e os meios ou armas para conquistarmos a perfeição. Já fiz dois cursos de controle mental em 1981 e 1986. Após ter iniciado os estudos sobre a mente humana passei a me compreender e autoconhecer muito mais, como também a entender a todos os meus próximos, sejam eles de qualquer grupo religioso ou mesmo ateus. Pela simples razão de alguém não pensar como eu, não tenho o direito de dizer que o que ele faz é crime ou está errado e eu certo.
2º) Decidi tomar esta atitude porque já sei realmente em parte quem “eu sou” e o meu inconsciente já não é totalmente inconsciente, por isso a minha responsabilidade perante a humanidade é muito grande. Também nunca ninguém poderá me dizer depois: “Você sabia de tudo isto e não nos contou... Você pecou por omissão... E falhou não ajudando a descobrir a VERDADE”.
Veja esse texto da carta escrita para o bispo Dom Diogo Reesink em 25/12/1990:
Como sou reencarnacionista foi-me revelado algumas de minhas vidas passadas e a primeira revelada foi a do “J” de “Jiaffher” e aconteceu em agosto/1982, fato relatado na terceira página. O pseudônimo: Jabai Pa Jiaffher, é formado pelas primeiras letras de nomes, que me disseram que foram vidas do meu espírito no passado e na atualidade. A última letra “R” é de Rosário, a 12ª letra, um “F”, é de Fernando de Aragão, o rei Católico da Espanha e a 13ª, um “H”, é de um escravo brasileiro, filho de escravos aqui no Brasil. A minha vida passada, cujo nome iniciou-se com “H” e a seguinte, quando também reencarnei como escravo aqui neste Brasil, foram preparações para a minha atual vida, pois tinha que ficar bem oculto dos espíritos contrários a tudo aquilo que defendo hoje: “A vitória total do BEM sobre tudo aquilo que é contrário ao BEM e o encontro com a VERDADE ABSOLUTA”. Aqui está a razão do porquê não encontro auxílio nem entre aqueles que me conheceram antes de 1980 e foram meus colegas, professores e orientadores no Seminário Seráfico Santo Antônio e no Convento de Santa Maria dos Anjos. Todos estão fechando as portas com um profundo silêncio. Na carta escrita para a sua Santidade, o Papa João Paulo II, contei os principais fatos espirituais acontecidos comigo e os nomes do meu espírito com as letras “J” e “F”, a 8ª e 11ª, que estão muito ligados ao Catolicismo Apostólico Romano, em vidas passadas.
Hoje, Frei Diogo, não tenho mais uma “fé cega”, mas raciocinada e posso dizer o seguinte que só existe mistério por causa de nossa ignorância e que quando aceitamos que há milagres é porque não conhecemos ainda as “leis do céu ou as coisas do céu” (Jo 3,12).
Hoje estudo Teologia relacionada com a matemática, como fez Pitágoras. Dentro da matemática (geometria) para falar de “DEUS” gosto da figura da reta, pois a reta não tem princípio, nem fim e por um mesmo ponto pode-se passar um número indefinido de retas e todas são iguais.

_________________
Paz plena... Rosário. ("Conhecereis a verdade e a verdade vos libertará" - João 8,32).


Voltar ao topo
 Perfil  
 
MensagemEnviado: Sex, 19/Set/2014 19:45 
Offline

Registrado em: Sáb, 27/Jan/2007 20:14
Mensagens: 6670
Localização: Brasil - Belo Horizonte
Paz plena... Irmãos foristas, um abraço.
Comecei o meu autoconhecimento verdadeiro no início de Janeiro de 1980 e o mesmo foi se tornando cada vez mais claro e lúcido para mim nos anos seguintes. Quanto eu me conhecia, mais entendia como era difícil para que os outros me compreendessem.
Passei a estudar a Bíblia com outros olhos, pois lentamente fui recebendo revelações sobre trechos bíblicos e, após analisar bem as revelações recebidas com total racionalidade, eu aceitava ou não as revelações recebidas.
Eis o que postei no jornal sobre o artigo do José Reis Chaves do dia 04/11/2013, que está nesse endereço:
http://www.otempo.com.br/opini%C3%A3o/j ... u-1.741042

Publicado no dia 05/11/2013.
O José Reis Chaves inicia o artigo falando sobre o “O Espírito de Verdade, que com esse nome se identificou a Kardec, é o que coordenou os trabalhos do codificador do espiritismo, e também o Consolador prometido (João 14: 16 e 17)”. E aqui faço a pergunta: “Qual foi o Espírito que utilizou desta forma para aproximar-se de Kardec?” Existem muitas respostas e até muitas interpretações, mas o próprio Espírito não revelou a própria identidade. Analisando bem o que está escrito, também no Evangelho de João: “Tenho ainda muito que vos dizer, mas não podeis agora suportar. Quando vier o Espírito da Verdade, ele vos conduzirá à verdade plena, pois não falará de si mesmo, mas dirá tudo o que tiver ouvido e vos anunciará as coisas futuras. Ele me glorificará porque receberá do que é meu e vos anunciará. Tudo o que o Pai tem é meu. Por isso vos disse: ele receberá do que é meu e vos anunciará” (Jo 16,12 a 15). De início julguei que o Espírito da Verdade seria o próprio Espírito de Jesus, mas depois que analisei com mais tranquilidade, passei a aceitar que o Espírito da Verdade é o próprio autor do 4º Evangelho.

Publicado no dia 07/11/2013.
Celso Daniel da Silva. Realmente concordo com você, pois a entidade que se manifestou sob o nome de Espírito de Verdade (capítulo VI do Evangelho Segundo o Espiritismo) é de alta evolução e ambos os citados são sim de alta evolução. O trabalho realizado pela dupla Kardec e Espírito de Verdade mostrou e mostra para todos que a humanidade entrou sim numa Nova Era evolutiva.

Publicado no dia 07/11/2013.
Chaves. Concordo com você com relação à mediunidade de falar em línguas estranhas, que ninguém entende, não é obra de espíritos muito evoluídos. O que aconteceu no Pentecostes bíblico (Atos 2) foi algo bem diferente, pois os apóstolos falavam em suas próprias línguas e cada um ouvia em sua língua, então no Pentecostes bíblico aconteceu um fato sublime, pois a Verdade foi revelada para muitos povos.

_________________
Paz plena... Rosário. ("Conhecereis a verdade e a verdade vos libertará" - João 8,32).


Voltar ao topo
 Perfil  
 
MensagemEnviado: Sex, 07/Nov/2014 08:48 
Offline

Registrado em: Sáb, 27/Jan/2007 20:14
Mensagens: 6670
Localização: Brasil - Belo Horizonte
Paz plena... Irmãos foristas, um abraço.
Quanto mais se aprende, mais conquistamos a capacidade de entender o Ser Humano e a Humanidade.
Agora realmente só conseguimos sair do grande labirinto, que é a Vida e no qual fomos jogados ou entramos com os olhos fechados, por meio do autoconhecimento.
A minha mediunidade tornou-se pública em Janeiro de 1980, mas como vivi sim muitos fenômenos mediúnicos publicamente, então fui considerado como doente mental e foi sim muito difícil vencer a primeira etapa dessa fase de minha vida, que durou de 1980 até 1986. Mas isso só se tornou possível, porque recebi uma revelação da Espiritualidade em Agosto de 1982, quando fiquei sabendo de uma vida passada do meu Espírito e comecei a saber sobre a minha identidade cósmica.
Depois que consegui entender o processo da minha atual encarnação, então decidi começar a escrever cartas em segredo para diversas pessoas. A maioria destas cartas já estão divulgadas aqui no Portal e quem quiser lê-las é só pesquisar no tópico dos índices.
Participo de muitos diálogos no site do Jornal O TEMPO.
Eis o que postei no jornal sobre o artigo do Leonardo Boff do dia 03/10/2014, que está nesse endereço:
http://www.otempo.com.br/opini%C3%A3o/l ... o-1.925663
Publicado no dia 04/10/2014.
Política ou política, no frigir dos ovos, é a mesma coisa, pois os candidatos querem sim resolver os problemas deles e não do povo. Após participar, simplesmente como eleitor, de várias eleições na democracia brasileira e ficar sabendo também de eleições democráticas pelo mundo, umas bem enganosas mesmo, pois de democracia era só o nome, como nos casos de Cuba e da Venezuela, onde os mandatários simplesmente foram reeleitos por vários mandatos. Os custos eleitorais são altíssimos tanto para os países como para os candidatos e que não trazem nenhum benefício para o eleitor, a não ser que o eleitor seja apadrinhado de quem venceu a eleição. A nossa democracia é uma enganação, pois os eleitores são obrigados a votar e os candidatos só pensam e olham para o povo nas vésperas das eleições. Aqui no Brasil existe sim uma demoniocracia e não uma democracia, pois candidatos são eleitos e reeleitos por meio do poder financeiro e ou por causa de bolsa família e de benefícios insignificantes, que são sim meios de compras de votos e os eleitores nem sentem, que estão vendendo seus votos. A maioria dos eleitores brasileiros vota sem saber em quem estão votando e por isso candidatos corruptos e maus administradores públicos continuam no poder. Minas Gerais tem dois senadores, que não receberam nenhum voto e dizem que representam o povo! Julgo que o melhor sistema de hierarquia, que existe na atualidade, é sim o da Igreja Católica Apostólica Romana, pois os eleitores do papa não foram eleitos por meio de votos populares e nem são aprovados pelo papa com o objetivo de receber benefícios dos mesmos no futuro.

_________________
Paz plena... Rosário. ("Conhecereis a verdade e a verdade vos libertará" - João 8,32).


Voltar ao topo
 Perfil  
 
MensagemEnviado: Qui, 22/Jan/2015 14:41 
Offline

Registrado em: Sáb, 27/Jan/2007 20:14
Mensagens: 6670
Localização: Brasil - Belo Horizonte
Paz plena... Irmãos foristas, um abraço.
Veja o que escrevi no livro ““Jesus de Nazaré – Do Batismo no Jordão à Transfiguração”, do papa Bento XVI, no subtítulo: Autoconhecimento - Por meio da Verdade Plena (Jo 16,13) todos irão compreender que a Bíblia não é a palavra de Deus, mas um conjunto de livros que mostram a evolução constante da humanidade na busca da sabedoria e da perfeição (Mt 5,48). Por meio da Liberdade todos poderão chegar à sua Verdade (Jo 8,32), que é o autoconhecimento.
Todo ser humano tem sim um imenso desejo de conhecer o futuro: como será a “vida eterna” (“Por isso é que praticamente todas as religiões desenvolveram formas de visão do futuro”. Pág. 21).
Para ter certeza de ter um futuro melhor é necessário agir bem no presente e compreender melhor ainda o passado. No presente colhe-se o que foi semeado no passado e no futuro cada um irá colher o que está plantando no presente. Cada ser humano tem uma visão diferente do futuro, após a vida aqui na terra. Uns negam, outros têm fé e ainda existem aqueles que têm plena certeza na vida futura. Por meio do conhecimento e do entendimento da Verdade toda a dúvida é ou será esclarecida.
A citação de textos antigos em momentos especiais da vida de alguém é algo típico de uma “expansão da mente” ou de um “estado alterado de consciência”. Para compreender bem a “expansão da mente” ou “um estado alterado de consciência” torna-se necessário passar pela própria experiência ou vivência. Só podemos falar do que sabemos e testemunhar o que vimos. (Jo 3,11). Quando um indivíduo está vivendo uma “expansão mental”, ele fala de experiências e vivências passadas, que estão arquivadas no inconsciente individual profundo de cada um, mas também se torna um médium, que facilmente pode ser usado por entidades, que estão presentes e utilizam da capacidade mediúnica do médium sem que este tenha consciência perfeita do que está acontecendo no início do processo. A pessoa, que inicia essas vivências, julga tudo conforme seus conhecimentos e suas crenças e chega até a pensar que todas as entidades, que se aproximam dele, são sim uma presença da própria Divindade ou do Deus Espírito Santo, que é a terceira pessoa do Mistério da Santíssima Trindade. Desde 1980 passei a viver essas experiências e por isso comecei a me compreender, entender e autoconhecer muito bem.
Quando chega a hora certa, e, o profeta já está preparado, então ele começa a receber revelações com objetivos individuais e coletivos e assim vai aprendendo de tudo e principalmente sobre ele mesmo: eis a base e o fundamento do autoconhecimento. Eu, por meio de uma revelação em Agosto de 1982, fiquei sabendo que sou um habitante do CÉU e passei a viver no CÉU já aqui na terra e a vida tornou-se clara e eterna para mim.
Mistério da cruz, mistério da fé, mistério da Santíssima Trindade: todos esses ensinamentos levaram e ainda levam a ocultação da Verdade plena (16,13). Todo cristão precisa conquistar a libertação por meio da verdade (Jo 8,32) e assim fica em condições de conquistar o autoconhecimento.
Os líderes religiosos primeiro jogaram (ou jogam) a culpa do pecado nos outros (Eva, Adão, demônio e etc) e depois colocaram a responsabilidade da expiação dos pecados ou da reconciliação com Deus sobre os ombros de Jesus! Falta do discernimento (Ap 13,18) e do autoconhecimento. Cada um deve sim assumir a responsabilidade de suas próprias culpas e será julgado por elas (Dt 24,16).
A evolução do conhecimento para a compreensão da Verdade, que liberta (Jo 8,32) é sim o destino de toda a criação e cada um vai chegando à condição de conquistar o autoconhecimento, que é a sua própria salvação.
É necessário muito esforço, muita coragem e ter já condições adequadas para conquistar o conhecimento, a sabedoria e o autoconhecimento e assim poder entender e compreender mais e cada vez mais a Deus. Deus ama irrestritamente a todos e eu também sou como DEUS É. ( “Tal como o sumo da uva deve fermentar para se tornar um vinho generoso, do mesmo modo o homem precisa de purificações, de transformações, que são perigosas para ele, nas quais pode cair, mas que também são caminhos indispensáveis para chegar a si mesmo e a Deus”. Pág. 148).
E no livro “Jesus de Nazaré – Do Batismo no Jordão à Transfiguração” - Do conhecimento não, mas por meio do autoconhecimento é que o homem encontra a “vida eterna”. Por meio de uma revelação eu fiquei sabendo que sou um habitante do CÉU, em Agosto de 1982, e passei a viver no CÉU já aqui na terra. (“O homem encontra a “vida eterna” por meio do “conhecimento””. Pág. 85).
Eu hoje não tenho mais fé, pois o processo da fé é sim um estado mental antes do conhecimento da Verdade e do próprio autoconhecimento. A Verdade de verdade acaba com a fé, pois a pessoa passa a ter a certeza, o conhecimento e o entendimento do assunto. (“que podemos designar como tradição em forma de profissão de fé e tradição em forma de narração”. Pag. 223).

_________________
Paz plena... Rosário. ("Conhecereis a verdade e a verdade vos libertará" - João 8,32).


Voltar ao topo
 Perfil  
 
MensagemEnviado: Seg, 11/Mai/2015 20:11 
Offline

Registrado em: Sáb, 27/Jan/2007 20:14
Mensagens: 6670
Localização: Brasil - Belo Horizonte
Paz plena... Irmãos foristas, um abraço.
Eu só passei a ter coragem de publicar e divulgar tudo o que aprendi após Janeiro de 1980 porque comecei o processo do autoconhecimento a partir de Agosto de 1982, quando recebi uma revelação de que também desci do céu (Jo 3,13).
Eis o que postei no jornal sobre o artigo do José Reis Chaves do dia 10/02/2014, que está nesse endereço:
http://www.otempo.com.br/opini%C3%A3o/j ... o-1.786484

Publicado no dia 13/02/2014.
A Teologia da Libertação ensina que o ser humano é um ser integral, então separar o Eu Superior do ego é uma forma um pouco sofista de estudar e analisar o ser humano. Está escrito: “Ninguém subiu ao céu, a não ser aquele que desceu do céu, o Filho do Homem” (João 3,13). Quem realmente evolui é o espírito e o espírito é ou não é evoluído. Quando reencarna um espírito mais evoluído, ele continua evoluído, então ele continua tendo um Eu Superior, pois ele desceu do céu. Veja os exemplos de Jesus, Francisco de Assis, Vicente de Paula, Allan Kardec, Gandhi, Chico Xavier e muitos outros.

Publicado no dia 13/02/2014.
Jesus não se preocupou com as coisas materiais. São Francisco de Assis renunciou a própria fortuna, a qual ele teria por direito de herança. Chico Xavier viveu na simplicidade por toda uma longa vida. Todos estes já eram espíritos evoluídos antes de encarnarem na terra ou, se quiserem, o Eu deles já era superior, mesmo vivendo em corpos de carne. A forma de separar o Eu Superior do eu inferior ou do ego não é uma boa forma de ensinar os seres humanos como buscar o autoconhecimento, pois o espírito encarnado é ou não é evoluído.

CELSO DANIEL DA SILVA (16/02/2014).
Bom dia, Rosário, pelo que entendi de seu texto não estamos aqui para evoluir. Já chegamos evoluídos ou não. É isso? Abraço.

Rosário Américo de Resende (Publicado no dia 13/02/2014).
Celso. Todos os espíritos reencarnam para evoluir. Agora, os mais evoluídos, como citei alguns, reencarnam para evoluir mais ainda e também para trabalhar em prol da evolução coletiva: cumprimento de trabalhos missionários. Estes espíritos de escol deixam suas marcas pelos trabalhos realizados aqui.

_________________
Paz plena... Rosário. ("Conhecereis a verdade e a verdade vos libertará" - João 8,32).


Voltar ao topo
 Perfil  
 
MensagemEnviado: Sex, 31/Jul/2015 16:54 
Offline

Registrado em: Sáb, 27/Jan/2007 20:14
Mensagens: 6670
Localização: Brasil - Belo Horizonte
Paz plena... Irmãos foristas, um abraço.
Veja o resumo do meu trabalho sobre os livros do papa Bento XVI:
“A Infância de Jesus” (1); “Jesus de Nazaré - Primeira Parte” (2) e “Jesus de Nazaré - Segunda parte” (3) no subtítulo Autoconhecimento:
Autoconhecimento.
Por meio da Verdade Plena (Jo 16,13) todos irão compreender que a Bíblia não é a palavra de Deus, mas um conjunto de livros que mostram a evolução constante da humanidade na busca da sabedoria e da perfeição (Mt 5,48). Por meio da Liberdade todos poderão chegar à sua Verdade (Jo 8,32), que é o autoconhecimento.
Todo ser humano tem sim um imenso desejo de conhecer o futuro: como será a “vida eterna” (“Por isso é que praticamente todas as religiões desenvolveram formas de visão do futuro”. Pág. 21 (2)). Para ter certeza de ter um futuro melhor é necessário agir bem no presente e compreender melhor ainda o passado. No presente colhe-se o que foi semeado no passado e no futuro cada um irá colher o que está plantando no presente. Cada ser humano tem uma visão diferente do futuro, após a vida aqui na terra. Uns negam, outros têm fé e ainda existem aqueles que têm plena certeza na vida futura. Por meio do conhecimento e do entendimento da Verdade toda a dúvida é ou será esclarecida.
A citação de textos antigos em momentos especiais da vida de alguém é algo típico de uma “expansão da mente” ou de um “estado alterado de consciência”. Para compreender bem a “expansão da mente” ou “um estado alterado de consciência” torna-se necessário passar pela própria experiência ou vivência. Só podemos falar do que sabemos e testemunhar o que vimos. (Jo 3,11). Quando um indivíduo está vivendo uma “expansão mental”, ele fala de experiências e vivências passadas, que estão arquivadas no inconsciente individual profundo de cada um, mas também se torna um médium, que facilmente pode ser usado por entidades, que estão presentes e utilizam da capacidade mediúnica do médium sem que este tenha consciência perfeita do que está acontecendo no início do processo. A pessoa, que inicia essas vivências, julga tudo conforme seus conhecimentos e suas crenças e chega até a pensar que todas as entidades, que se aproximam dele, são sim uma presença da própria Divindade ou do Deus Espírito Santo, que é a terceira pessoa do Mistério da Santíssima Trindade. Desde 1980 passei a viver essas experiências e por isso comecei a me compreender, entender e autoconhecer muito bem.
Quando chega a hora certa, e, o profeta já está preparado, então ele começa a receber revelações com objetivos individuais e coletivos e assim vai aprendendo de tudo e principalmente sobre ele mesmo: eis a base e o fundamento do autoconhecimento. Eu, por meio de uma revelação em Agosto de 1982, fiquei sabendo que sou um habitante do CÉU e passei a viver no CÉU já aqui na terra e a vida tornou-se clara e eterna para mim.
Mistério da cruz, mistério da fé, mistério da Santíssima Trindade: todos esses ensinamentos levaram e ainda levam a ocultação da Verdade plena (16,13). Todo cristão precisa conquistar a libertação por meio da verdade (Jo 8,32) e assim fica em condições de conquistar o autoconhecimento.
Os líderes religiosos primeiro jogaram (ou jogam) a culpa do pecado nos outros (Eva, Adão, demônio e etc) e depois colocaram a responsabilidade da expiação dos pecados ou da reconciliação com Deus sobre os ombros de Jesus! Falta do discernimento (Ap 13,18) e do autoconhecimento. Cada um deve sim assumir a responsabilidade de suas próprias culpas e será julgado por elas (Dt 24,16).
A evolução do conhecimento para a compreensão da Verdade, que liberta (Jo 8,32) é sim o destino de toda a criação e cada um vai chegando à condição de conquistar o autoconhecimento, que é a sua própria salvação.
(“Tal como o sumo da uva deve fermentar para se tornar um vinho generoso, do mesmo modo o homem precisa de purificações, de transformações, que são perigosas para ele, nas quais pode cair, mas que também são caminhos indispensáveis para chegar a si mesmo e a Deus”. Pág. 148 (2)). É necessário muito esforço, muita coragem e ter já condições adequadas para conquistar o conhecimento, a sabedoria e o autoconhecimento e assim poder entender e compreender mais e cada vez mais a Deus. Deus ama irrestritamente a todos e eu também sou como DEUS É.
(“O homem encontra a “vida eterna” por meio do “conhecimento””. Pág. 85 (3)). Do conhecimento não, mas por meio do autoconhecimento é que o homem encontra a “vida eterna”. Por meio de uma revelação eu fiquei sabendo que sou um habitante do CÉU, em Agosto de 1982, e passei a viver no CÉU já aqui na terra.
(“que podemos designar como tradição em forma de profissão de fé e tradição em forma de narração”. Pag. 223 (3)). Eu hoje não tenho mais fé, pois o processo da fé é sim um estado mental antes do conhecimento da Verdade e do próprio autoconhecimento. A Verdade de verdade acaba com a fé, pois a pessoa passa a ter a certeza, o conhecimento e o entendimento do assunto.

_________________
Paz plena... Rosário. ("Conhecereis a verdade e a verdade vos libertará" - João 8,32).


Voltar ao topo
 Perfil  
 
MensagemEnviado: Sáb, 24/Out/2015 10:25 
Offline

Registrado em: Sáb, 27/Jan/2007 20:14
Mensagens: 6670
Localização: Brasil - Belo Horizonte
Paz plena... Irmãos foristas, um abraço.
Eu só consegui entender muito melhor a Bíblia por meio do autoconhecimento.
Eis o que postei no jornal sobre o artigo do José Reis Chaves do dia 31/03/2014, que está nesse endereço:
http://www.otempo.com.br/opini%C3%A3o/j ... o-1.816379

Publicado no dia 31/03/2014.
Sou de opinião que para facilitar um pouco mais a compreensão da Verdade, que liberta (João 8,32) e da verdade plena (João 16,13) é melhor que não se use os termos divino e Deus para espíritos criados, mas usá-los só para Divindade ou Deus. Falar em Deus Absoluto e deus relativo só deixa confusa a mente daqueles que pensam em Deus só envolto no mistério da fé.

Vitoria alvinegra. (Publicado no dia 31/03/2014).
Sinceramente? Sinto pena de você. Mas sinto também temor de Deus por ver que, de fato, se Ele não se revelar, o ser humano, por mais estudioso e bem intencionado que seja, erra e erra cegamente, tateando no escuro, olhando para a luz, mas sem enxergá-la. Não me atrevo a criticá-lo, sinto um tremor no meu espírito. Apenas glorifico a Deus que disse: "Pois até a ira humana há de louvar-te, e do resíduo das iras te cinges". Sociedade Bíblica do Brasil. (1993; 2005). Almeida Revista e Atualizada (Sl 76:10). Olha só, você. Essa palavra se cumpre cabalmente em sua vida criada, por Deus especificamente para fazer isso que você faz. Ele tem o controle de toda essa sua blasfêmia e fúria contra o Filho e o Espírito. Não pense que sabe mais do que Paulo, Isaías, Moisés. Ao menos não se ufane, para que talvez obtenha misericórdia, por ter errado querendo acertar. Deus o abençoe, criatura perdida, em nome do Senhor Jesus.

Publicado no dia 01/04/2014.
Vitória! Até janeiro de 1980 eu pensava que tudo na Bíblia era sim uma obra de Deus. Hoje digo que nada na Bíblia vem de Deus. A Bíblia mostra sim uma forma da evolução do conhecimento e da compreensão dos seres humanos sobre Deus. Hoje a humanidade sabe muito mais sobre Deus do que sabia os profetas Moisés, Isaías e o apóstolo Paulo.

Vitoria alvinegra (Publicado no dia 02/04/2014).
Até janeiro de 1980 você estava no caminho certo. Desde então se perdeu como esse senhor aí, o José Reis. Tão perdido está, que se atreve a dizer coisas como essas no final de seu comentário."No tocante a Deus, professam conhecê-lo; entretanto, o negam por suas obras; é por isso que são abomináveis, desobedientes e reprovados."(Tt 1:16).

Publicado no dia 03/04/2014.
Vitória. Você aceita que foi Deus que mandou matar todos os amalecitas, como está em 1Samuel 15,1 a 3? Você aceita que todas as matança que aconteceu quanto o exército dos israelitas entrou na Palestina e foi passado ao fio da espada trinta um reis e seus povos, foi tudo por ordem de Deus (Js 1 a 12)? Foi aceita que a condenação, flagelação, crucificação e morte de Jesus na cruz foram por vontade de Deus, como está em Mateus 26,36 a 46? O mesmo escrito está em Marcos e Lucas.

Publicado no dia 03/04/2014.
Quando conheci a Teologia da Libertação, por volta de 1987, fiquei imensamente contente, pois tudo o que eu já sabia encaixava como luvas na TL. A primeira fase da libertação tem que ser com relação aos ensinamentos dogmáticos, que são baseados na fé, que cega o crente. Agora a verdadeira libertação só acontece por meio da Verdade (João 8,32) e estamos vivendo a época da verdade plena (João 16,13).

Publicado no dia 03/04/2014.
Veja o que escrevi na encíclica “A alegria do Evangelho”: A Teologia dos teólogos não é Teologia, pois os teólogos só falam de Deus sob o mistério da fé. Ver as cartas para o Dr. Carlos Magno Ramos e as 3ª e 4ª para o bispo Dom Célio de Oliveira Goulart. (“A Igreja, comprometida na evangelização aprecia e encoraja o carisma dos teólogos e o seu esforço na investigação teológica... e da própria teologia, e não se contentem com uma teologia de gabinete”. Item 133).

CELSO DANIEL DA SILVA. (Publicado no dia 04/04/2014).
Rosário, como posso ler a encíclica "A alegria do Evangelho", de sua lavra? Abraço.

Rosário Américo de Resende. (Publicado no dia 04/04/2014).
Celso Daniel da Silva. Eis o meu e.mail: rosariopazplena@gmail.com - Escreva-me que lhe enviarei tudo o que escrevi na encíclica pela internet.

Publicado no dia 04/04/2014.
Veja mais um comentário, que escrevi na encíclica “A alegria do Evangelho”: Se apenas víssemos este texto, então estava ótimo e muito bem esclarecido. Mas este mesmo “espírito” orienta para “massacrar” outros povos (Êxodo 3,8-9: “Por isso desci a fim de libertá-lo da mão dos egípcios, e para fazê-lo subir daquela terra a uma terra boa e vasta, terra que mana leite e mel, o lugar dos cananeus, dos heteus, dos amorreus, dos ferezeus, dos heveus e dos jebuseus. Agora, o clamor dos filhos de Israel chegou até mim, e também vejo a opressão com que os egípcios os estão oprimindo”); essa destruição está registrada no livro de Josué 1 a 12: todos os povos de 31 reinos foram passados ao fio da espada. E as pragas contra todo o povo egípcio? (Êxodo 7,8 a 12). Isso não foi divino! Não foi de Deus! (Ver pág. 104). Por que o Papa só citou o início do versículo de Êxodo 3,8 e não o versículo todo como citei acima? A Verdade assusta, dói e amedronta, mas tem que ser dita! (21/01/2014). (“Basta percorrer as Escrituras, para descobrir como o Pai bom quer ouvir o clamor dos pobres: (citou Êxodo 3,7-8.10)”. Item 187).

Publicado no dia 04/04/2014.
Como no texto anterior eu citei a página 104, por isso estou divulgando o que escrevi na mesma: Deus falou por intermédio de Jesus, mas Deus não escreveu nada e o que Jesus escreveu no chão não foi contado por ninguém. A Palavra de Deus não esta escrita em lugar nenhum. Muitos profetas e outros personagens bíblicos não tiveram a sintonia com o Espírito de Deus, mas com outros espíritos, que agiram como falsos deuses. Então cada profeta tem que ser muito bem analisado, pois “árvore boa” só dá bons frutos e frutos podres só vêm de “árvores más” (substitui a “árvore” por “pessoa” e tudo fica mais claro). Jesus foi médium de Deus, mas Moisés não foi. O mentor de Moisés foi o Espírito do patriarca Abraão e por isso o texto de Êxodo 3,7 e 8 está corretíssimo. Entenda quem possa entender e a Verdade tem que ser dita e divulgada (João 8,32 e 1613). Estudar a Espiritologia. (21/01/2014).

_________________
Paz plena... Rosário. ("Conhecereis a verdade e a verdade vos libertará" - João 8,32).


Voltar ao topo
 Perfil  
 
MensagemEnviado: Sex, 08/Jan/2016 15:20 
Offline

Registrado em: Sáb, 27/Jan/2007 20:14
Mensagens: 6670
Localização: Brasil - Belo Horizonte
Paz plena... Irmãos foristas, um abraço.
Eu só passei a compreender melhor a Bíblia e a Teologia depois de conquistar o autoconhecimento: Eu já sei quem sou, sei porque vim aqui, sei o que vou fazer aqui e já sei o que irei fazer depois desta minha passagem pela terra.

Eis o que postei no jornal sobre o artigo do José Reis Chaves do dia 14/07/2014, que está nesse endereço:
http://www.otempo.com.br/opini%C3%A3o/j ... 7-1.883019

Publicado no dia 15/07/2014.
Os teólogos criaram um labirinto em torno de Deus, da Verdade e da Vida, que dificilmente irão encontrar a saída. Veja a minha introdução sobre o trabalho que estou fazendo sobre Teologia: Apresentação. A Teologia nunca poderia ter recebido “sobrenomes”, pois isso só dificultou e dificulta a todo aquele que deseja encontrar e compreender de verdade a Verdade, que liberta (João 8,32). Agora ninguém pode negar que a Teologia, na história da humanidade, já recebeu muitos sobrenomes uns libertadores e outros bitoladores ou castradores da liberdade até de pensar. No livro: “Lembranças da minha Vida”, do Joseph Ratzinger, o papa Bento XVI, consegui catalogar 27 sobrenomes para a Teologia, que são: Bíblica, Católica, Científica, do Concílio, Cristã, do Direito Canônico, Dogmática, Eclesial, Eclesiástica, Ecumênica, da Esperança, Fundamental, da História em Boaventura, Liberal, da Libertação, Medieval, dos Mistérios, Moral, do Novo Testamento, Ortodoxa, Pastoral, do Pensamento Alemão, Política, de Rudolf Bultmann, dos Santos Padres, Sistemática e Tradicional. Alguns nomes induzem a existência de muitos outros. No livro: “Teologia e Ciências da Religião” cataloguei mais 25 sobrenomes para a Teologia, sendo apenas 6 deles repetidos: Dogmática, da Esperança, Fundamental, da Libertação, Política e Sistemática, os outros 19 são: Apofática, Contemporânea, Contextual, do Diálogo Interreligioso, Existencial, da Experiência, Feminista, Hermenêutica, da História, Local, Negra, Neuroteologia, de Práxis, Psicoteologia, Pública, Religiões, da Revelação, Século XXI e Transcendental. Nos livros sobre Jesus de Nazaré do Papa bento XVI (Joseph Ratzinger): “Infância de Jesus”; “Jesus de Nazaré, Primeira Parte: Do batismo à Transfiguração”; “Jesus de Nazaré: Da entrada em Jerusalém até a Ressurreição” cataloquei mais 40 sobrenomes para a Teologia, sendo apenas 7 deles repetidos: Católica, da Esperança, Liberal, Medieval, do Novo Testamento, Política, Sistemática, os outros 33 são: da Alegria, do Batismo, Católica Moderna, Cristã do Batismo, da Cruz, do Culto, da Eleição de Israel, da Encarnação, Eucarística, da Glória, Icônica, Joanina do Filho, Joanina da Paixão, de João, da Justificação, do Logos, de Melquisedec, Moderna, Oração Sacerdotal, Pascal, Paulina, de Paulo, dos Pobres, Política do Antigo Oriente, Protestante, Rabínica, Real do Antigo Oriente, da Revolução, Sacrifical, Sacrifício da Cruz, Século XIX, Última Ceia, Veterotestamentária do culto. No livro: “Teologia da Libertação – Perspectivas”, do Gustavo Gutiérrez cataloguei mais 67 sobrenomes para a Teologia, sendo 13 deles repetidos: Bíblica, Contemporânea, da Esperança, Fundamental, da História, da Libertação, Moderna, Moral, Negra, do Novo Testamento, Política, da Revolução, Sistemática; os outros 54 são: Agostiniana, da Aliança, do Antigo Testamento, da Atividade Missionária, Atual, Clássica, Conformista, da Criação, Cristã, do Desenvolvimento, Dialética, Escatológica, Escolástica, da Esperança Humana, Espiritual, Europeia, Existencialista, da Fé, Feminina, Francesa, do Futuro, Hispana, da Idade Média, da Igreja, da Igreja no Mundo, Índia, da Morte de Deus, do Mundo, Negra da África do Sul, Negra dos Estados Unidos, da Perseguição, Personalista, Privatizante, Progressista, Progressista Europeia, do Progresso Humano, Protestante Liberal, Protestante do Século XIX, do Próximo, da Realidade, das Realidades Terrestres, do Reino de Deus, da Renovação, da Ressurreição, da Salvação,da Secularização, dos Sinais do Tempo, Tomás de Aquino, Tomista, do Trabalho, Transcendentalista, Veterotestamentária, da Vida Religiosa, da Violência. Nestes livros são encontrados 133 sobrenomes para a Teologia. Que labirinto não foi criado em torno da Teologia pelos teólogos, que na realidade não estudam a Teologia, mas a história da mesma. A Teologia é o estudo sobre Deus e como Deus é Único (Uno. Dt 6,4), então a Teologia nunca poderia ter recebido sobrenomes. Eis uma grande verdade, que foi dita pelo papa Bento XVI, pois a salvação é autorredentora e não heterorredentora. Veja no item 25 da Encíclica Spe Salvi sobre a Esperança Cristã o que escreveu o papa Bento XVI: “O homem não poderá jamais ser redimido simplesmente a partir de fora”. Ensinamento, com o qual concordo, pois é o que está em Deuteronômio 24,16: “Os pais não serão mortos em lugar dos filhos, nem os filhos em lugar dos pais. Cada um será executado por seu próprio crime” e também Jeremias 31,30: “Mas cada um morrerá por sua própria falta. Todo homem que tenha comido uvas verdes terá seus dentes embotados”. A salvação é conquistada por meio da vivência perfeita do amor para com todos (Jo 13,34 e 35; 15,12 a 14 e 17) e da busca da Verdade (Jo 8,32 e 16,12 a 15) e do entendimento (Ap 13,18). Cada teólogo está ligado ou subordinado a algum grupo religioso e cada grupo religioso pode ser independente ou pertencer a alguma Religião constituída, como a Igreja Católica Apostólica Romana (ICAR). Dificilmente será encontrado um teólogo realmente livre e que se colocou a disposição para receber revelações da Espiritualidade e até do próprio Espírito de Deus. Explicando melhor digo que os “sobrenomes dados à Teologia” deveriam ser entendidos como “o pensamento teológico deste ou daquele teólogo”, como também “deste ou daquele agrupamento de pessoas” e até também “desta ou daquela Religião”. Até hoje o melhor sobrenome que encontrei para a Teologia foi o da Libertação e agora vou lançar mais um sobrenome: “Teologia da Verdade” (João 8,32 e 16,13), que para muitos teólogos defensores da “Teologia da Libertação” (TL) será uma absurda heresia, pois os defensores da Teologia da Libertação não poderiam ter colocado como base da TL a opção preferencial pelos pobres (OPP). A OPP deve ser sim um dos principais objetivos da Doutrina Social da ICAR, mas sempre com o objetivo de buscar uma harmoniosa e perfeita vivência e convivência entre pobres e ricos. A Teologia da Verdade (TV) irá trabalhar em prol da grande harmonia entre todos os seres humanos, para que seja implantado no seio da humanidade o Reino de Deus, como Jesus nos ensinou a pedir na oração do Pai Nosso (Mt 6, 10). Já trabalho em torno da Verdade desde Janeiro de 1980 e em função desta minha busca e trabalho, para o qual não conquistei ainda nenhum companheiro, consegui fazer uma ponte entre Teologia e Matemática, que é uma Ciência Exata, fazendo assim uma união perfeita entre Religião e Ciência.

Publicado no dia 16/07/2014.
Irineu Siqueira Neto. Você escreveu: “Se JESUS CRISTO é o “grau máximo” que um espírito pode alcançar, por que ninguém nunca o alcançou na história da humanidade? Sim, pois, nenhum outro ser humano nasceu de uma virgem! Somente Ele!” Eu também, enquanto tinha a fé cega, acreditava nesse ensino das Doutrinas Cristãs. Quando comecei a conhecer a Verdade, que liberta (Jo 8,32) descobri também que esse foi mais um ensino sofista das Doutrinas Cristãs. Veja um texto que escrevi para um sacerdote em 20/11/1994: 2º) A segunda confirmação veio da própria mãe de Jesus, que sintonizou perfeitamente comigo no dia 11/04/1984 (vide carta para o Papa João Paulo II) e aqui vou descrever o primeiro encontro, que tive com Maria de Nazaré: “Levei a minha filha mais velha a uma ginecologista e estávamos sendo acompanhados pela mãe dela, já desencarnada... (a Conceição morreu em 28/01/1984). Logo que acabou a consulta, o espírito da Conceição aproximou-se de mim e disse-me: “Está tudo bem com a Cláudia, não precisa se preocupar”. Como o consultório era perto do mosteiro das clarissas na Rua Santa Rita Durão e, devido ao passado dela nos séculos XII e XIII, que fiquei sabendo no dia 26/02/1984, decidi fazer uma visita ao mosteiro (naquele dia ainda não sabia que também participei desse passado dela). Chegando em frente ao portão de entrada vi o aviso: “Atendimento ao Público de ... até às 16,00 horas”, e já eram 16,30 horas. Então rezei um pai-nosso em frente ao portão e caminhei para o carro, onde deixei a minha filha. Logo que comecei andar, a Conceição, que foi a maior discípula de São Francisco de Assis no passado, falou-me assim: “Você não pôde entrar, mas eu entrei e trouxe uma amiga para conhecê-lo”. Pensei de imediato tratar-se de alguma monja, mas como não houve identificação e apresentação, fui para o carro. Do bairro Funcionários até à Cidade Nova, onde moro, dirigi o carro, ouvindo o diálogo entre as duas entidades, enquanto tentava entender a situação. A Conceição falou para a nova visitante e amiga recém sintonizada: “Ele vai perguntar-lhe quem você foi na época de Jesus”. A nova visitante respondeu: “Não há problemas. Estamos aqui para ajudá-lo e revelar-me a ele. Será até muito bom mesmo”. Chegando a meu apartamento, fui comprar pão e a recém chegada me acompanhou. Quando estávamos chegando novamente em meu lar, ela me falou: “Agora já sei onde você mora, então irei embora e depois manteremos outros contatos”. Respondi imediatamente, convidando-a para continuarmos o nosso diálogo: “O que é isso, irmã. Vamos para o meu apartamento, ainda não lhe contei nada sobre mim e nem sei ainda quem é você. Quero continuar o nosso diálogo”. Ainda não sabia que ela já sabia de tudo a meu respeito. Ela concordou e aceitou o meu convite. Entrando em meu lar, pedi a ela licença para tomar um banho, antes de conversar com ela. Enquanto tomava tranquilamente o meu banho, a Conceição foi ao banheiro e me falou assim: “O que é isso, Rosário. A nossa convidada é muito importante, ela não pode ficar a sua espera assim e já estão chegando algumas convidadas dela para esse encontro (diálogo) aqui hoje”. “Quem ela é?”. Perguntei. Ao invés de contar-me, apenas disse: “Pensa!”. Logo que comecei a pensar veio a minha mente o nome de Maria de Nazaré e levei um grande choque, que não me deixou nenhuma dúvida, dizendo logo em seguida: “É ela que está aqui em meu apartamento!”. Senti uma fortíssima emoção (vibração) e quase cai no piso do banheiro. Pela minha reação, conclui rapidamente, que era a mãe de Jesus, a minha mais nova visitante. Aprontei-me rapidamente e fui para a sala. Logo, que fechei a porta, ela, Maria de Nazaré, me falou: “Você está tirando o meu trunfo!”. “Não, Maria, apenas estou colocando as outras mães perto de você, pois a diferença era e é muito grande”. Respondi e voltei a falar, perguntando: “Já que estamos falando desse assunto, pergunto-lhe: Como foi?”. Só tive coragem de fazer essa pergunta “Como foi?” em função do encaminhamento do próprio diálogo. Aí recebi a mais simples e humilde resposta, mas muito clara e sincera mesmo: “Normalmente, como se concebe um feto”. Pela resposta simples e reveladora fiquei satisfeito. Conversamos muito sobre outros assuntos referentes aos nossos passados, como também aos passados de outras pessoas, ... (Continua).

_________________
Paz plena... Rosário. ("Conhecereis a verdade e a verdade vos libertará" - João 8,32).


Voltar ao topo
 Perfil  
 
MensagemEnviado: Sex, 08/Jan/2016 15:25 
Offline

Registrado em: Sáb, 27/Jan/2007 20:14
Mensagens: 6670
Localização: Brasil - Belo Horizonte
Paz plena... Irmãos foristas, um abraço.
Eu só passei a compreender melhor a Bíblia e a Teologia depois de conquistar o autoconhecimento: Eu já sei quem sou, sei porque vim aqui, sei o que vou fazer aqui e já sei o que irei fazer depois desta minha passagem pela terra.

Eis o que postei no jornal sobre o artigo do José Reis Chaves do dia 14/07/2014, que está nesse endereço (Continuação):
http://www.otempo.com.br/opini%C3%A3o/j ... 7-1.883019

Publicado no dia 16/07/2014.
Um dos grandes problemas para quase todos os religiosos é sim com relação à Verdade, que liberta (João 8,32) e plena (João 16,13). Aqueles que aceitaram tudo por meio de uma fé, que cega o crente, nunca irá aceitar e compreender a própria Verdade sobre Deus, Jesus e Vida em geral e particular de cada pessoa.

Publicado no dia 17/07/2014.
Irineu Siqueira Neto. Você escreveu: “Se JESUS CRISTO é o “grau máximo” que um espírito pode alcançar, por que ninguém nunca o alcançou na história da humanidade? Sim, pois, nenhum outro ser humano nasceu de uma virgem! Somente Ele!” Precisamos rever os ensinamentos, que recebemos sem analisá-los. Quando comecei a conhecer a Verdade, que liberta (Jo 8,32), libertei-me dos ensinos dogmáticos, que me foram ensinados como verdades indiscutíveis. Veja outros textos da mesma cartas de 20/11/1994: a) Primeiro preciso fazer um resumo sobre o que já escrevi no meu diário de n° 1, páginas 30, item 6, 77 e 86: “Revisão de Dogmas”. Não conheço todos os dogmas, mas alguns têm que serem realmente explicados ou até revogados. Para mim hoje “dogma de fé é uma forma, que foi arranjada por aqueles, que mandavam e sabiam menos, imporem a vontade deles como se fosse a vontade ou a lei de Deus”. Um erro é defender a perda da virgindade como um ato pecaminoso, por isso os teólogos tiveram que defender que Maria de Nazaré foi sempre virgem, mesmo sendo a mãe de Jesus; e outro erro é defender a “concepção pelo Espírito Santo”, pois isso pode até ser considerado como um adultério, já que Maria foi concebida do Espírito Santo e era esposa de José. Maria foi realmente concebida sem pecado, pois ela já era pura e santa antes de reencarnar, também muitos outros foram concebidos sem pecados e sem nenhuma culpa passada. O ensino da concepção pelo Espírito Santo foi defendido como necessário, porque numa certa época muitos teólogos e doutores da Igreja, que em muitos casos cometeram grandes erros no campo sentimental, e, às vezes participaram até de orgias sexuais antes de suas conversões, consideraram a relação sexual como pecado. Devido a essas considerações e como Jesus não poderia ser fruto de nenhum pecado humano (relação ou ato sexual), então era preciso inventar uma nova fórmula e defender também a virgindade de Maria como ato de fé (dogma?). Maria deveria ser virgem sim antes do casamento, disto não duvido, pois ela já era santa e dedicada a Deus. O milagre ou a maravilha perfeita da criação, criada por Deus, do nascimento de um novo ser físico ou um novo corpo, precisa de um homem e de uma mulher em completa e íntima união, e, quanto mais amor existir nessa relação mais evoluído será o ato e o fruto dele. O mistério do nascimento da vida de um ser é divino, é obra de Deus-Pai-Mãe-Criador e é o mesmo para todos. Sobre a virgindade de Maria, após o nascimento de Jesus, os evangelistas não comentam nada. O assunto da concepção pelo Espírito Santo está muito claro em Mateus 1,18 a 25. Em Lucas 1,26 a 38, vemos a anunciação do anjo a Maria sobre o futuro nascimento de Jesus, fato ocorrido também com Zacarias com relação ao nascimento de João Batista (Lc 1,11 a 25), com a mãe e depois com os pais de Sansão (Jz 13), como também com Abraão e Sara sobre o futuro nascimento de Isaac (Gn 18,9 a 15). A anunciação é uma verdade comprovada pela Bíblia. Marcos e João não fazem referências à concepção espiritual e nem à anunciação, então se pode concluir que cada um escreveu o que julgou ser o melhor. Não se vê também em nenhuma passagem ou nas pregações de Jesus nenhuma alusão a esse assunto, então o normal era aceito e não a anormalidade. Em João 19,25 a 27, vemos que Jesus entregou a guarda de sua mãe ao discípulo, que amava (o único que esteve ao pé da cruz) e então Maria teria revelado esse segredo a João, em companhia do qual foi viver, como diz o referido trecho. João, por seu lado, se soubesse disso, teria relatado em seu Evangelho para conhecimento da posteridade. Como João não fez nenhuma referência a esse assunto é porque ele não soube de nada especial. Nas conversas entre Maria e João esse assunto nunca deve ter sido colocado em evidência, já que foi pura fantasia de alguns. Aceita-se a maternidade humana para Jesus, um lado do nascimento de um novo ser humano e por que não aceitar o outro: a paternidade? Em Lucas não existe a confirmação da concepção pelo Espírito Santo, mas apenas a anunciação e isto prova que houve sim um apoio espiritual muito elevado para a encarnação de Jesus. Quanto à anunciação a Maria, acredito piamente, pois ela precisava ganhar força e coragem, como também saber previamente a quem ela iria receber em seu ventre e depois dar a luz: Jesus, o maior filho de Deus ou espírito, que já veio a essa terra, o Messias prometido por Moisés e pelos profetas. Quem apareceu a Maria foi um anjo e era um enviado, um mensageiro de Deus-Pai-Mãe ou mesmo de Jesus ou o próprio Jesus em espírito, que iria encarnar por meio de Maria e viria nos ensinar o caminho rumo ao Pai-Mãe-Criador, que é de pureza total... b) O processo da concepção ou nascimento de um ser humano foi criado pelo PAI, tudo pode como deveria ser puro e sem pecado. Quem cria uma lei é o primeiro a seguir ou obedecer à lei. Na concepção inicia-se a criação apenas do corpo físico para ser a moradia adequada de um espírito ou alma, que já foi criado há muito e muito tempo e que está em busca da autoperfeição ou da sua salvação. Na íntima união entre um casal humano existe uma grande demonstração de confiança, entrega e vivência do amor humano. Depois de ter escrito esses pareceres em meu diário, tive duas confirmações desses meus dizeres, que se tornaram em mais uma tese minha, que é: “Jesus de Nazaré, o Cristo, teve pai e mãe carnais ou Jesus, como homem, foi filho de José e Maria”. Em complemento ao que já escrevi, vou relatar dois diálogos meus com os espíritos de Jesus e Maria de Nazaré: 1º) A primeira confirmação veio do próprio Mestre Jesus, que iniciou a sintonização comigo em 25 de novembro de 1983, como já escrevi nas cartas para o Papa João Paulo II e para o Narciso. Num de nossos muitos diálogos, logo que Jesus aproximou-se de mim, perguntei: “O que o Senhor, Mestre, me fala sobre os meus escritos relacionados com a sua concepção e seu nascimento?” Jesus, antes de responder, fez-me a seguinte pergunta: “Por que você está me perguntando isso?” “Mestre, o Senhor já sabe tudo sobre os meus pontos de vista e não quero ensinar nada de errado, a minha responsabilidade é muito grande e até pesada”. Expliquei respondendo. Então, o Mestre Jesus respondeu diretamente à minha pergunta e já me dando orientações: “Você está certo, mas não escandalize aos outros que acreditam de forma diferente”...

Publicado no dia 21/07/2014.
Irineu. Você citou Isaías 7,14 e Mateus 1,23. Na realidade a citação de Mateus é apenas uma repetição do trecho de Isaías, então não são duas passagens, mas uma só. A profecia de Isaías na realidade se refere a Ezequias, o filho do Rei Acaz. Já os seguidores de Jesus tudo fizeram para transformar Jesus em Deus, principalmente o apóstolo Paulo, que foi educado na doutrina dos sacrifícios para agradar a Deus ou para resgate de pecados. Paulo transformou a morte de Jesus na cruz como um sacrifício para resgatar ou redimir a humanidade. Resgatar de quem? Do demônio? Então ele era tão poderoso que teve de receber um resgate? Ou foi para que Deus perdoasse a humanidade, que ficou condenada pela desobediência de Adão e Eva? Neste então Deus ficou satisfeito ou contente com o sacrifício na cruz de Jesus? Quem fica satisfeito com sacrifícios de morte não é perfeito e nem bom, então não foi algo agradável a Deus. Está escrito: “Em verdade, em verdade, te digo: falamos do que sabemos e damos testemunho do que vimos, porém não acolheis o nosso testemunho” (João 3,11). Quem criou o processo do nascimento de um ser humano foi o próprio Deus e por que quando Jesus nasceu o processo não era perfeito? Sobre o que escrevi com das minhas experiências com Maria e Jesus digo apenas, que vieram confirmar o que passei a entender, após a minha libertação dos ensinamentos dogmáticos da Igreja, pois comecei a entender a Verdade, que liberta.

_________________
Paz plena... Rosário. ("Conhecereis a verdade e a verdade vos libertará" - João 8,32).


Voltar ao topo
 Perfil  
 
Exibir mensagens anteriores:  Ordenar por  
Criar novo tópico Responder  [ 68 mensagens ]  Ir para página Anterior  1, 2, 3, 4, 5  Próximo

Todos os horários são GMT - 3 horas


Quem está online

Usuários navegando neste fórum: Nenhum usuário registrado e 1 visitante


Enviar mensagens: Proibido
Responder mensagens: Proibido
Editar mensagens: Proibido
Excluir mensagens: Proibido

Procurar por:
Ir para:  
cron
Powered by phpBB® Forum Software © phpBB Group
Traduzido por: Suporte phpBB